fbpx
Ligue-nos:     21 2147-0829   /     21 97532-3236
Brasileiros investem em energia solar para economizar na conta de luz

Brasileiros investem em energia solar para economizar na conta de luz

Consumidor ainda pode fornecer às concessionárias a sobra da energia que produzir com a luz do sol e obter créditos para abater do que gastar.

Com a energia elétrica subindo de preço, tem cada vez mais gente descobrindo que vale a pena usar a luz do sol para reduzir a conta.

O motorista Joel Franklin já não sabia mais como baixar a conta de luz que estava nas alturas. E olhando da varanda: “Pensei: o sol aqui, como se vê, é bem disponível, então, nasceu essa ideia de montar um aquecedor solar”, diz.

Só tinha um problema: “O preço muito alto do aquecedor solar”, reclama. O orçamento ficou em R$ 3 mil. E como o governo não dá incentivo, ficou difícil. O preço das placas é o que mais encarece o sistema.

Mas Joel não desistiu. Quando conheceu Rafael Xavier, viu que era possível. O engenheiro ambiental ensinou a fazer um aquecedor solar bem baratinho, de R$ 500 a R$ 800: “Os componentes são materiais plásticos. A placa de PVC é pintada de preto, o tubo de PVC é encaixado nela e ela se transforma em um excelente coletor de energia solar, que vai esquentar a água e levar essa água quente para o reservatório, armazenando ao longo da noite para a pessoa tomar banho e economizar energia elétrica do chuveiro”, explica Rafael.

Agora, na casa de Joel tem água quente o dia todo. E, claro, sem ter que ligar o chuveiro na energia elétrica. E o melhor: dois meses depois da instalação do aquecedor solar, a conta de luz dele já teve uma redução de mais de 20%.

De olho na economia, o engenheiro mecânico Euler de Carvalho Cruz também instalou um aquecedor solar para o chuveiro, mas daqueles convencionais. Investiu R$ 20 mil em uma pequena usina. No telhado, tem 18 metros quadrados de placas que geram o dobro de energia que ele gasta em casa. O que sobra, Euler vende para a concessionária de Minas Gerais: “Na conta eu não pago nada, aliás pago uma tarifa básica de ligação”

Desde 2012, o governo permite que o consumidor produza energia a partir de fontes renováveis e forneça para a distribuidora o que sobrar. Não há pagamento em dinheiro. Mas o consumidor fica com o crédito para abater no que for gastando.

Só que alguns estados cobram ICMS pela energia que o cliente “emprestou” para a concessionária durante o dia e que vai resgatar durante a noite. Em Minas não tem essa cobrança.

Para quem está pensando na ideia, antes de implantar o sistema em casa é preciso saber as regras de cada companhia elétrica. No país, 5% das casas têm aquecimento solar. E das 723 micro ou mini usinas que existem, 679 são solares. A maioria delas está em Minas Gerais.

E para quem ainda está em dúvida: “Vale muito a pena, não vale pouco, não, vale muito!
Eu acho que se a pessoa sentar e fizer uma continha na pontinha do lápis imediatamente vai instalar um sistema parecido com esse”, afirma o engenheiro Euler de Carvalho Cruz.

Fonte: Bom Dia Brasil – G1
Foto: Linkedin


Adicionar comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *